Sugestão de temas e gincanas para acampamentos evangélicos

Sugestão de temas e gincanas para acampamentos evangélicos

Data de publicação: 20/11/2013
Categoria: Religioso

Escolher um tema para o acampamento evangélico pode não ser nada fácil. Algumas igrejas buscam temas para gincanas e dinâmicas de grupo, outras optam por um jantar temático. Mas em ambos os casos, os organizadores enfrentam uma grande dificuldade em criar um tema e gincanas que contribuam para o propósito da evangelização ao mesmo tempo em que tenham grande apelo e despertem o envolvimento dos jovens e adultos presentes.

Abaixo listamos algumas dicas de temas de gincanas para acampamentos evangélicos e retiros religiosos. São dicas de lazer para evangelização, cujo objetivo é proporcionar ensinamentos nos participantes de uma maneira lúdica e envolvente. Cada um dos temas sugeridos para as dinâmicas traz também um tema geral que pode ser associado a um jantar à noite, aproveitando-se as mesmas roupas tanto para a caracterização das dinâmicas, quanto para o momento do jantar. Confira!

Temas para atividades e jantar em acampamentos evangélicos:

Corrida no saco de estopa

Objetivo: incentivar o entendimento do evangelho pelos participantes

Os participantes farão um percurso dentro de um saco de estopa. O participante que atingir o ponto marcado e retornar mais rapidamente deverá citar um trecho bíblico de sua preferência e explicar seu entendimento sobre ele. O participante ou equipe que completar a tarefa primeiro, com uma explicação correta, vencerá a tarefa.

Material: saco de estopa ou outro material resistente (a pessoa irá se locomover dentro dele)

Participantes: ideal até 8 participantes ou equipes

Tempo estimado: 20 minutos (variável conforme a distância determinada)

Tema indicado para o Jantar: Caipira, Temática rural

Roupas: jeans, xadrez, vestido de chita

 

Tribos Urbanas – Teatro

Objetivo: compreender o ensinamento sobre compaixão e amor ao próximo

Os participantes deverão ser divididos em até 5 equipes e cada uma das equipes irá retratar uma tribo urbana. As equipes terão 30min para criarem uma peça de teatro de até 15min retratando a tribo que foi designada, além de improvisarem vestimentas e cenário.

Quando todos os participantes se apresentarem (todas as tribos), convide-os a um debate sobre essas tribos urbanas. Questione como eles reagem diante de pessoas dessas tribos. Questione se estariam preparadas para evangelizar a todos, mesmo um grupo que se portasse tão diferente delas. Proponha um rebate e reflexão sobre como a palavra de Cristo sobre amar ao próximo pode se aplicar também em relação a esses irmãos.

Sugestões de versículo de amor ao próximo para esta atividade:

“Esta é a mensagem que vocês ouviram desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. “1 João 3:11

“Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber, alguns acolheram anjos. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se vocês mesmos estivessem sendo maltratados.”  Hebreus 13:1-3

“Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito. Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, visto que vocês foram chamados para viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos. “ Colossenses 3:12-15

Material: papel e caneta para sortear as tribos por equipes e objetos improvisados para a peça teatral

Tema indicado para o Jantar: Tribos Urbanas

Roupas: separar os participantes por equipes: hippies, clubbers, punks, skatistas, emos, rappers, patricinhas, etc. As roupas podem ser improvisadas pelos próprios participantes/grupos

 

Os olhos do cego

Objetivo: entender a importância do próximo (guias) para o crescimento do indivíduo, refletir sobre a cegueira física de espírito

O coordenador deverá solicitar dois voluntários. Um dos participantes terá seus olhos vendados e o outro deverá conduzi-lo até algum ponto do acampamento. Ex: dê três passos para frente, vire à direita, dê dez passos, etc. Quando completar a tarefa os participantes devem trocar o papel de guia e do que terá os olhos vendados e repetir o processo.

No final, todos os presentes devem debater sobre qual dos papeis pareceu o mais difícil: o do cego ou do guia? Qual a importância do guia naquela atividade? A atividade retratou a cegueira física, mas na Bíblia ela aparece com um significado mais profundo nas passagens citadas. Que significado é esse? Quem são nossos guias no dia-a-dia (pais, professores, amigos, etc.)? Em que sentido um aluno ou aprendiz pode estar buscando a “visão”? Em que sentido nossos guias podem nos ajudar a ter a “visão”? O que pode ser encarado como uma cegueira de espírito (ira, inveja, soberba, etc.)? Qual visão é mais importante na nossa vida: a física ou de espírito?

Sugestões de versículo sobre a “cegueira” para esta atividade:

“E, voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: Bem-aventurados os olhos que vêem o que vós vedes. Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.” Lucas 10:22-24

“E depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.” Marcos 10:46-52

Material: papel e caneta para sortear as tribos por equipes e objetos improvisados para a peça teatral

Tema indicado para o Jantar: O guia e o aprendiz

Roupas: escolar: estudante e professor; família: pai e filho; etc. Os participantes podem ser divididos em duplas e improvisarem as próprias roupas desde que se encaixe no tema indicado para o jantar, sendo um deles necessariamente o “guia” e o outro o “aprendiz”. (Uma sugestão é que na hora do debate seja solicitado que as duplas expliquem que guias e aprendizes estão representando e a importância que eles exercem em suas vidas)


Comentários